27 de setembro de 2010

Genocídio contra os índios guarani Kaiowa no Mato Grosso



Estas fotos foram tiradas por um fotógrafo que não pode ser identificado,pois ele corre risco de vida. Este genocídio está acontecendo no Mato Grosso,onde o PT tem a liderança estadual.

Não podemos fechar nossos olhos e virar as costas às pessoas que estão sofrendo todos os tipos de discriminação e violência. Crianças morrem de desnutrição e adultos cometem suicídio, bebendo até a morte.

A mortalidade infantil é elevada e as taxas de homicídio também. A mídia se
recusa a publicar isso, porque é a "terra de Gilmar Mendes" (segundo palavras do próprio fotógrafo), uma máfia que não tem medo de matar qualquer um que ouse questionar ou até mesmo tentar ajudar essas pessoas pobres. O objetivo é transformar as terras indígenas em área de plantação de soja e criação de gado, e isso já está acontecendo!



Aqui você vê uma foto de um índio morto por golpes repetidos na face, jovens índios que cometem suicídio das vítimas de depressão e alcoolismo e crianças mortas de desnutrição. As vilas são queimadas para forçar o povo Kaiowá-Guarani a saírem de sua terra ... Os desenhos das crianças mostram pessoas sendo assassinadas porque essa é a realidade dessas crianças esquecidas pelo Brasil e por toda a mídia mundial irresponsáveis que louvam o Lula como o defensor dos pobres!



Por favor divulguem isso, queremos que chegue às mãos de alguém que possa
ajudar! De acordo com o fotógrafo que nos enviou essas fotos a única chance desses índios abatidos é a interferência de alguma instituição forte estrangeira que trabalhe no campo dos direitos humanos."Estrangeiros" porque a máfia que está por trás do genocídio em curso está infiltrada em todos os ramos de órgãos oficiais e entidades e são muito poucos os que têm a coragem de falar ou fazer alguma coisa, pois os mafiosos ameaçam e matam sem hesitar.



Este e-mail é de Luis Carlos de Alencar:

"coincidência: estava com uma amiga há alguns dias e comentavamos sobre o
genocídio dos kaiowá.ela me disse, que lá pelos anos 80, início dos 90,
trabalhou com os casos de “suicídio”.um perito – muito famoso até hoje – estudou
20 e tantos episódios naquela ocasião e declarou-lhe, o que também é a sua
opinião (a de minha amiga), ser uma proeza incrível (na falta de melhor palavra)
a maioria desses “suicídios” serem cometidos por jovens, ou quase jovens, que se
enforcaram de uma altura menor do que a sua própria.e ainda conseguem quebrar o
pescoço.a foto do garoto indígena enforcado abaixo não desmente tais
insinuações.ou será que o galho cedeu com o tempo, até acharem seu corpo?será
que, em algumas situações, não há um oportunismo cruel com o discurso dos
suicídios dos kaiowá para encobrir diversos casos de extermínio naquela
região?abraços e solidariedade"

Fonte: Bajan Reporter

Um comentário:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA

“As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!” Otoniel Ajala Dourado

O MASSACRE DELETADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA

No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi a CHACINA praticada pelo Exército e Polícia Militar em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato “JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA”, paraibano negro de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.

O CRIME DE LESA HUMANIDADE

O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.

A AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELA SOS DIREITOS HUMANOS

Como o crime praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL conforme legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza – CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos

A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO

A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.

RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5

A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;

A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA

A SOS DIREITOS HUMANOS, como os familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.

QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA

A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, mas não o fazem porque para elas, os fósseis de peixes do “GEOPARK ARARIPE” são mais importantes que as vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.

A COMISSÃO DA VERDADE

A SOS DIREITOS HUMANOS em julho de 2010 passou a receber apoio da OAB/CE pelo presidente Dr. Valdetário Monteiro, nas buscas da COVA COLETIVA das vítimas do Sítio Caldeirão, e continua pedindo aos internautas que divulguem a notícia, bem como que a envie para seus representantes no Legislativo, para que exijam do Governo Federal e Estado do Ceará a localização da COVA COLETIVA.

Paz e Solidariedade,

Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS – DIREITOS HUMANOS
Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br
http://twitter.com/REVISTASOSDH
http://revistasosdireitoshumanos.blogspot.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...