26 de setembro de 2010

Movimentos anti-guerra estão sob a mira do FBI


Membros de grupos anti-guerra nos Estados Unidos dizem que estão sendo assediados pelo Federal Bureau of Investigation (FBI) por causa de sua oposição à guerra liderada pelos EUA.

"O FBI está assediando organizações e líderes anti-guerra, pessoas que se opunham à intervenção dos EUA no Oriente Médio e América Latina", disse o ativista anti-guerra Mick Kelley, em Minneapolis.

No início na quarta-feira, o FBI invadiu oito casas em Minneapolis e Chicago como parte de uma investigação sobre terrorismo. Eles teriam supostamente confiscado arquivos de computador, fotografias, cadernos e diários de Kelley.

O porta-voz do FBI Steve Warfield disse que as provas relativas ao apoio material ao terrorismo está sendo investigado. "Nós não estamos antecipando qualquer prisão neste momento", acrescentou Warfield.

Jess Sundin é outra ativista anti-guerra de Minneapolis que tem sido procurada por agentes do FBI. Ela também disse que as buscas estavam relacionadas com a oposição do Comitê Anti-Guerra de Minnesota para a ajuda militar dos EUA à Colômbia e Israel, bem como a sua oposição às guerras no Iraque e no Afeganistão.

"É ultrajante que cidadãos dos Estados Unidos possam ser atingidos dessa maneira", observou Sundin.

A casa de Steff Yorek também foi invadida. Ele disse que as buscas foram realizadas por causa de sua oposição à guerra liderada pelos EUA e da opressão dos palestinos.

Ele negou veementemente qualquer envolvimento em atividades que poderiam ser ligados ao terrorismo.

Em 21 de setembro, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusou o FBI de prestação de declarações falsas e enganosas sobre o terrorismo.

Um relatório do Escritório do Inspetor-Geral diz que o FBI iniciou investigações indevidas após os eventos do dia 11 de Setembro nos Estados Unidos, dizendo que o gabinete rotulou protestos pacíficos como atos de terrorismo.

O relatório cita também um comício anti-guerra em 2002 em Pittsburgh, que foi ligado ao terrorismo. Ele diz que o FBI usou poucas evidências para colocar os membros do grupo ambientalista Greenpeace sobre uma lista federal de observação do terrorismo.

O Departamento de Justiça pediu ao FBI para rever as suas políticas, especialmente em relação aos casos de terrorismo doméstico.


Fonte: Press TV

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...