19 de outubro de 2010

Cidade ecológica portuguesa é controlada por um computador central


Uma nova eco-cidade planejada em Portugal tem um pouco de biologia, usando um computador central como um "cérebro" para controlar funções como a utilização da água, tratamento de resíduos e o consumo de energia. É a maior tentativa de metabolismo urbano, que tenta comparar as cidades com os organismos vivos.

Planit Valley, no sul de Portugal, perto da cidade de Paredes, vai usar uma rede de sensores bem como um sistema nervoso para coletar dados e controlar a cidade, informa a revista New Scientist. Uma empresa chamada Living Planit está liderando o esforço, e visa tornar Planit Valley uma cidade de baixa emissão de carbono, que também fornece uma alternativa européia ao Vale do Silício.

A cidade de 19 bilhões de dólares americanos poderia ser construída em 2015, batendo a cidade Masdar Abu Dhabi por cinco anos. Sendo um município central operado inteligentemente, é mais ambicioso do que os projetos estagnados de Masdar ou Dongtan da China. Tudo está conectado através de uma nuvem para o funcionamento de um Sistema Urbano, que atua como o cérebro da cidade.

Além do cérebro, a cidade tem diversas outras funções corporais: um sistema renal de junco e bambu, que filtra a água, um sistema digestivo que envolve máquinas de contrações que processam os resíduos humanos e alimentos para produzir biocombustíveis, e até mesmo um sistema sensor visual que pode monitorar as crianças perdidas e conectá-las com seus pais.
Aplicações especiais devem informar aos moradores sobre o tráfego e outras questões locais.

A cidade funciona como um circuito eficiente - tudo é reciclado para outra coisa. Água de cozimento é recapturada para descargas de vasos sanitários, por exemplo. Plantas em uma lagoa de tratamento de água serão cortadas quando estiverem totalmente crescidas e colhidas para o biocombustível. E o ar quente de um centro de armazenamento massivo de dados será distribuído para aquecer outros edifícios.

Os edifícios são concebidos como hexágonos para maximizar o espaço, e a construção deve começar no final deste ano.

Não é nada se não ambicioso, e os críticos apontam que os obstáculos significativos de
financiamento permanecem - o projeto precisa levantar cerca de US $ 10 bilhões a mais, de acordo com uma estimativa de negócios verdes. Ainda assim, é um conceito interessante que poderia informar o planejamento urbano futuro e projetos de revitalização.

Porém a Planit não consegue responder a uma questão fundamental: O que acontece quando o cérebro se torna auto-consciente e se rebela contra nós?

Fonte: Popsci

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...