2 de dezembro de 2011

Os 10 maiores mitos sobre o cérebro humano


Em se tratando deste complexo, misterioso, fascinante órgão, o que nós sabemos, e não sabemos?


1. Nós usamos apenas 10 por cento de nossos cérebros.

Na verdade nós utilizamos grande parte de nossos cérebros mesmo em atividades simples. O que os estudos mostram é que nós não utilizamos 100% de nossa capacidade, ou potencial, por falta de prática ou estímulo adequado.

2. "Memórias Relâmpago" são precisas, detalhadas e persistentes.

Sabe aquelas memórias que parecem tão vívidas e exatas como uma foto instantânea, geralmente de algum evento chocante ou dramático? Vários experimentos inteligentes testaram a memória das pessoas imediatamente após uma tragédia e novamente após vários meses ou anos. E chegaram a conclusão de que: apesar de estas memórias serem mais vivas do que as outras, elas acabam se degenerando com o tempo, como qualquer outra memória. Pessoas esquecem detalhes importantes e adicionam detalhes incorretos sem a consciência de que eles estão recriando uma cena confusa em suas mentes ao invés de invocar uma reprodução perfeita fotográfica.

3. Tudo decai depois dos 40 (ou 50 ou 60 ou 70).

É verdade, algumas habilidades cognitivas entram em declínio à medida que envelhecemos. Mas muitas habilidades mentais melhoram com a idade. Vocabulário, por exemplo, pessoas mais velhas conhecem mais palavras e compreendem as sutis diferenças linguísticas. Dê um esboço biográfico de um estranho, eles são melhores juízes de caráter. Eles fazem uma maior pontuação em testes de sabedoria social, tais como a forma de resolver um conflito. E as pessoas ficam cada vez melhores ao longo do tempo em regular suas próprias emoções e encontrar significado em suas vidas.

4. Temos cinco sentidos.

Sim, temos a visão, olfato, audição, paladar e tato, mas temos muitos outros sentidos também: propriocepção, nocicepção, senso de equilíbrio, senso de temperatura corporal, de aceleração e passagem do tempo - são todos sentidos importantes, tanto quanto os 5 mais conhecidos.

5. Cérebros são como computadores.

Esta metáfora é falha: não temos uma memória vazia esperando para ser preenchida; além do mais, o cérebro não computa dados como faz um computador, e também, nossa percepção visual não é apenas uma absorção passiva de estímulos - nós interpretamos tudo que vemos, em um nível sentimental.

6. O cérebro é como uma máquina elétrica.

Muitas pessoas dizem que o cérebro tem circuitos elétricos, que é organizado de certa forma, com certas partes especializadas em certas tarefas. Mas uma das maiores descobertas da neurociência é que o cérebro é notavelmente plástico: ou seja, ele se transforma, se molda e se adapta.

7. Uma paulada na cabeça pode causar amnésia (e outra paulada pode trazer a memória de volta).

Existem duas formas principais de amnésia: anterógrada (incapacidade de formar novas memórias) e retrógrada (a incapacidade de recordar eventos passados).A amnésia retrógrada pode ser causada pela doença de Alzheimer, traumatismo crânio-encefálico (pergunte a um jogador da NFL), deficiência de tiamina ou outras injúrias. Mas uma lesão cerebral não prejudica seletivamente a memória autobiográfica, muito menos a traz de volta.

8. Sabemos o que nos torna felizes.

Em alguns casos, não temos idéia. Rotineiramente superestimamos quanto algo nos fará felizes. Nós superestimamos os prazeres da solidão e do lazer e subestimamos quanta felicidade podemos recebemos das relações sociais. Por outro lado, as coisas que tememos não nos fazem tão infelizes quanto o esperado. Manhãs de segunda-feira não são tão desagradáveis como as pessoas prevêem. Tragédias aparentemente insuportáveis, como a morte de um ente querido, pode causar tristeza e desespero, mas a infelicidade não dura tanto quanto as pessoas pensam. As pessoas são notavelmente resistentes.

9. Vemos o mundo como ele é.

Nós não somos receptores passivos de informação externa que entra em nosso cérebro através de nossos órgãos sensoriais. Em vez disso, procuramos ativamente por padrões, tornamos cenas ambíguas em algo que se encaixam em nossas expectativas, e perdemos completamente os detalhes que não estamos esperando. Nós temos uma capacidade limitada de prestar atenção, e abundância de preconceitos sobre o que esperamos ou queremos ver.

10. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus.

Sempre que os estereótipos são trazidos à mente, as diferenças sexuais são exageradas. Certas diferenças sexuais são enormemente importantes para nós quando estamos à procura de um companheiro, mas quando se trata da maior parte do que nosso cérebro faz na maioria das vezes - perceber o mundo, direcionar atenção, aprender novas habilidades, decodificar memórias, comunicar-se (não , as mulheres não falam mais do que os homens), julgar as emoções das outras pessoas (não, os homens não são ineptos nisto), homens e mulheres têm habilidades quase totalmente sobrepostas.

Fonte: Smithsonian Magazine

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...