24 de junho de 2013

Novo estudo liga mais de 7 mil mortes por câncer devido a exposição à torres de celulares.



Poderia a exposição à radiação das torres de telefones celulares ser realmente responsável por mais de 7.000 mortes por câncer? De acordo com resultados de uma pesquisa brasileira, os fatos falam por si. O estudo estabeleceu uma relação direta entre as mortes por câncer em Belo Horizonte, a terceira maior cidade do Brasil, com a rede de telefonia celular.

Mais de 80% daqueles que sucumbiram a certos tipos de câncer residem cerca de meio quilómetro de distância de uma das centenas de antenas de telefone celular que povoam a cidade.

Estes cânceres, encontrados principalmente na próstata, mama, pulmão, rins, fígado, são os associados à exposição a campos electromagnéticos (CEM).

Esta é uma preocupação real para os usuários de telefones celulares e até mesmo quem não usa celular. Aqueles que evitam tecnologia de telefonia móvel ainda sofrem as consequências da radiação de torres de telefone celular.

O estudo brasileiro é um estudo isolado?

Estudos de torres de celular que examinaram a relação entre a exposição à radiação e as taxas de câncer foram realizados na cidade de San Francisco nos EUA, além de cidades na Áustria, Alemanha e Israel, que datam da década de 1970. Todos os estudos compartilharam resultados semelhantes: morar dentro de uma certa proximidade de uma torre de celular aumenta o risco de câncer de duas a 121 vezes, dependendo do tipo de câncer que for detectado.

Adilza Condessa Dode, PhD, uma das pesquisadoras de engenharia, bem como o coordenadora do estudo no Brasil, aborda aqueles que estão preocupados com a radiação de torres de celular e explica que o estudo brasileiro não está sozinho. Dode explica que "esses níveis (CEM) já são elevados e perigosos para a saúde humana. Quanto mais próximo você viver de uma antena, maior será o contato com o campo eletromagnético."

Um número crescente de organizações e muitos mais estudos apóiam as conclusões do estudo brasileiro. A Associação Internacional para Pesquisa sobre Câncer (IARC), com base em resultados de pesquisas realizadas por um think tank internacional, chegou à conclusão de que a radiação de radiofrequência, incluindo a radiação vomitada por torres de celular, é um possível agente cancerígeno.

O Relatório BioInitiative 2012 escrito por um grupo de eminentes cientistas internacionais independentes mostrou um aviso inequívoco de saúde contra a exposição aos CEM. Isso inclui exposições de torres de telefonia celular.

A ameaça vem da natureza constante da atividade das torres, que emitem radiação de radiofrequência pulsada. Esta radiação tem sido mostrada em milhares de estudos que causam danos biológicos para o corpo e pode ser um precursor de doenças.

Quais são alguns dos perigos (além de câncer), que resultam deste dano e estão associados com CEM e antenas de telefone celular?

• mutações genéticas
• perturbações da memória
• aprendizado lentificado
• Síndrome de Déficit de Atenção
• insônia
• distúrbios cerebrais
• desequilíbrios hormonais
• infertilidade
• demência
• complicações do coração

Fonte: Natural News

5 comentários:

Anônimo disse...

Olá, segue fonte do estudo:
http://www.mreengenharia.com.br/tese_ufmg.php
http://www.mreengenharia.com.br/pdf/Bol_1689_pag_centrais.pdf

Abraços,
Tiago Hoerlle

Marina disse...

VALORIZO TODAS ESTAS INFORMAÇÕES, TENHO ESTUDADO E PESQUISADO MUITO. PORÉM, NÃO ENCONTRO RESPOSTAS PARA AS MINHAS DÚVIDAS. SE TUDO ISSO REALMENTE FAZ SENTIDO, PORQUE A POPULAÇÃO MUNDIAL TRIPLICOU NOS ÚLTIMOS 100 ANOS? HÁ UNS 60 OU 50 ANOS ATRÁS A MÉDIA DE VIDA NÃO PASSAVA DOS 40 ANOS. NÃO SERIA OS AVANÇOS DA MEDICINA OU UMA SUPER ALIMENTAÇÃO. QUE RAÇA ORDINÁRIA É ESSA NOSSA QUE, MESMO SENDO ENVENENADA, RESISTE AOS VENENOS E ENVENENAM OS PLANETA COM NOSSOS LIXOS? GOSTO DO GLOG. PARABÉNS PELO TRABALHO. ABRAÇO FRATERNO.

Èric disse...

Boa pergunta Marina!
A população somente triplicou nos últimos 100 anos por causa do petróleo. O petróleo é equivalente a uma força de centenas de escravos para cada pessoa. Não só o transporte e as comunicações ficaram mais rápidas com o petróleo, mas também a produção de alimentos (que utiliza petróleo como adubo químico, e pesticida). Os materiais descartáveis e os avanços da medicina também auxiliaram para a queda de mortalidade. Porém, este desequilíbrio resultou em um tipo de vida sem qualidade, com ar, água e alimentos contaminados, e com pessoas morrendo de câncer mais cedo do que poderiam. Ou seja, por um lado, o avanço tecnológico fez aumentar muito a população, e aumentou a expectativa de vida, mas por outro lado, trouxe uma péssima qualidade de vida, e com muitas mortes por doenças como o câncer (sem contar as doenças neurodegenerativas).

Otto disse...

Para se ter certeza que as radiações estão dentro dos limites estabelecidos pela Anatel é necessário fazer uma medição com instrumentos apropriados. Faço essas medições e comparo os resultados com os limites não só do Brasil mas com o de vários países da europa. Contato Eng. Otto ottriebe@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Bom a taxa de natalidade pode ter aumentado mas antigamente aguente vivia até 100 ou 90 anos hoje se passar do 70 é muito .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...