12 de junho de 2013

Restos de carne estão sendo reprocessados para virar sorvete




Parece não haver limites para o que a indústria de alimentos processados faz para maximizar seus lucros, mesmo que isso signifique reprocessar resíduos animais de carne e adicioná-los a alimentos completamente alheios, como o sorvete. Este é o mais recente esforço por pesquisadores de alimentos industriais na Itália, na Bélgica e em outros países, que estão agora desenvolvendo novos métodos para transformar as sobras da indústria de carne em um pó rico em proteínas e resíduos para a fábrica da indústria alimentar.

Por mais nojento quanto parece, tecidos não utilizados como músculos, tendões, ossos e outros subprodutos de origem animal são carregados com proteínas e gorduras que normalmente acabam em aterros sanitários. De acordo com FoodProcessing.com, até 50% do peso do animal processado pela indústria da carne são compostados, descartados ou incinerados. Mas a ciência moderna está querendo basicamente reciclar este desperdício e transformá-lo novamente em alimentos.

Mas esta coisa chamada de comida não será reconhecida como uma entidade própria, pelo menos não no sentido tradicional. Todos esses ossos, aparas de carne, e sobras de aves podem efetivamente ser transformados em que a indústria de alimentos tem apelidado de "hidrolisados protéicos de origem animal." Estes hidrolisados são basicamente proteína liquefeita ou em pó e misturas de gordura que podem ser adicionadas a todos os tipos de outros alimentos processados para aumentar seu conteúdo nutricional geral.

Para a indústria de alimentos, transformar dejetos animais em alimentos irá agregar valor aos alimentos que podem faltar na alimentação. A Proliver, com sede na Bélgica, por exemplo, já fabrica uma "proteína em pó" de galinha e de peru, que aparentemente pode ser injetada em outros produtos de carne e usado para engrossar ou enriquecer outros alimentos.

Uma empresa russa admitiu abertamente que planeja usar hidrolisados de proteína animal para "enriquecer" sorvete. Segundo relatos, a empresa, conhecida como Mobitek-M, já construiu uma fábrica na região de Belgorod da Rússia, que é capaz de processar cem toneladas de "proteína animal funcional" por dia.

Fonte: Natural News

2 comentários:

Anônimo disse...

Só uma pergunta...Se tudo vira vitaminado e já é está vitaminado os industrializados, (podem verificar nas embalagens..) porque ainda ficamos doente??? KKKKKKKKKKKK Só rindo pra não chorar mesmo! Pior que tem gente que compra acreditando que os industrializados conseguem ter tantas vitaminas e minerais e blá, blá, blá...quanta ingenuidade do povo. Lamentável mesmo!

Anônimo disse...

São iniciativas como essa que devem ser respeitadas e parabenizadas, pois além de servir para o combate à desnutrição, vai diminuir a qtde de lixo produzido em nosso planeta! Parabéns!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...