7 de novembro de 2013

Os 'riscos' da legalização da maconha




O que vou escrever aqui é baseado somente na minha observação empírica da situação geral.

Outra coisa, eu não fumo maconha. Nem tenho vontade, talvez apenas para experimentar. Já tomei o chá, e dá um relaxamento bem intenso.

Ouvindo entrevistas, lendo artigos e vendo autoridades falando sobre o assunto, cheguei em uma conclusão. A legalização da maconha pode ser perigosa sim: perigosa por despertar a consciência das pessoas - algo que os "governos" não querem.

Vou analizar as afirmações feitas por psiquiatras, psicólogos, advogados, policiais etc, que vão contra a  legalização da maconha:

O uso da maconha aumenta as chances de surtos e características esquizofrênicas, alucinatórias  psicóticas e outras "doenças mentais".

Eles falam isso baseados em pesquisas científicas. Concordo, são todas muito bem feitas e conduzidas. O problema aqui é o conceito-base: o que é esquizofrenia? Alucinação? Distúrbios mentais?

Pelo que vi do uso da maconha, o que acontece com a pessoa, é que ela relaxa bastante, e seu estado de consciência é alterado. Ela começa a perceber as coisas de uma maneira diferente. Isso dá uma sensação de bem-estar. Por esse motivo é que as pessoas são viciadas. Não porque haja uma substância viciante (ao contrário da nicotina, cafeína e açúcar refinado, que comprovadamente são substâncias químicas viciantes, que causam dependência).

E aqui entramos em um campo relativamente novo da ciência: percepções extra-sensoriais. Conforme várias pesquisas apontam, existe um mundo invisível ao nosso redor, e com seres vivos, invisíveis para a maior parte de nós. Espíritos? Demônios? Anjos? Fadas e duendes? Seres inorgânicos? Chame do que quiser - estes seres existem, está sendo cada vez mais comprovado.


Ou seja, digamos que uma pessoa que tem a tendência a desenvolver percepções extra-sensoriais, comece a usar a maconha. O que acontece? Ela começa a ver coisas estranhas, ouvir sons estranhos, que ninguém mais percebe, só ela. Ela vai ao médico, e este, por sua vez, cumprindo seu papel, diagnostica o caso como "provável tendência esquizofrênica".

Pessoas que não entendem isso, e não sabem lidar com isso, geralmente têm medo de ficarem "loucas", ou de deixarem as pessoas "loucas". Têm medo de tudo que é novo, que sai do controle. E assim é o sistema: controle total sobre o comportamento e percepção humana.

O uso da maconha diminui o QI do usuário em até 4 pontos.

É uma das afirmações que mais defendem como sendo algo "perigoso". Teste de QI? Ainda me admiro em ver pessoas defendendo esse teste arcaico, que nada prova sobre a verdadeira inteligência humana.

E eles esquecem de dizer que o próprio sistema educacional atual é a maior causa de diminuição de QI! Sem contar o estilo de vida, alimentos, jogos eletrônicos, desigualdades sociais...

Fumar maconha é tão perigoso quanto fumar cigarro.

Pesquisas recentes mostram que a maconha tem efeitos curativos sobre o corpo. Até cura câncer. Nem vou falar muito disso, é só pesquisar no youtube sobre os benefícios da maconha e vocês verão por si próprios.

Maconha mata neurônios

Mito. Segundo a revista Super Interessante:

"Bilhões de dólares foram investidos para comprovar que o THC destrói tecido cerebral – às vezes com pesquisas que ministravam doses de elefante em ratinhos –, mas nada foi encontrado.Muitas experiências foram feitas em busca de danos nas capacidades cognitivas do usuário de maconha. A maior preocupação é com a memória. Sabe-se que o usuário de maconha, quando fuma, fica com a memória de curto prazo prejudicada. São bem comuns os relatos de pessoas que têm idéias que parecem geniais durante o “barato”, mas não conseguem lembrar-se de nada no momento seguinte. Isso acontece porque a memória de curto prazo funciona mal sob o efeito de maconha e, sem ela, as memórias de longo prazo não são fixadas (é por causa desse “desligamento” da memória que o usuário perde a noção do tempo). Mas esse dano não é permanente. Basta ficar sem fumar que tudo volta a funcionar normalmente. O mesmo vale para o raciocínio, que fica mais lento quando o usuário fuma muito freqüentemente."

Veja mais em:

http://super.abril.com.br/ciencia/verdade-maconha-443276.shtml

3 comentários:

César disse...

Caros,
Talvez o mais importante seja o fato de canhamo ter a maior relação óleo/massa, ou seja, para cada semente, a quantidade de óleo é maior do que a de qualquer outra planta.
Isso fez com que Rudolf Diesel criasse um motor (que hoje depois de diversas sabotagens e manipulações virou motor a combustível mineral)que funcionava alimentado por óleo de cânhamo ou de amendoin ( a segunda melhor relação óleo/massa), mas claro, os salafros proibiram essa planta "mágica" (tão importante quanto ela talvez só o bambú) e emplacaram coisas que interessavam aos carteis de controle, o tecido de cânhamo é o mais forte, e a fibra a mais longa de todas, mas o algodão, a cultura que mais usa agrotóxico foi a eleita!!
Claro, não descartemos que maconha aclama e faz pensar, duas coisas imponderáveis para excrementos que buscam dominar o mundo via cisão, dissensão, pois afinal é dividindo que se conquista! E a mais famigerada e desgraçada droga do mundo foi impulsionada, o álccol, a desgraça que faz com que ânus vire orgão sexual, afinal o do bêbado não tem dono e pior, a da dona que é a fonte da vida, a vagina vira parquinho de diversão de cafajeste e o que nasce naturalmente é cafajeste a dar com o pau (no mais amplo espéctro!!).
Essa agenda é mais macabra do que análises de superinteressantes, mas vale a indicação.

Èric disse...

Gostei do comentário, obrigado!

mario ribeiro disse...

Cada um acredita no que quiser, mas, uma coisa é certa: quanto mais fácil for o acesso do ser humano a maconha, mais fácil será, obviamente, o acesso de CRIANÇAS a maconha, como hoje facilmente crianças experimentam cigarros, tornando-se facilmente dependentes, justamente pela facilidade de acesso, de se comprar cigarros. O mesmo acontece em relação ao álcool. Agora, vamos aumentar o problema, aumentar os perigos para crianças e adolescentes??? Já não há perigos suficientes rondando crianças e adolescentes??? Portanto, é totalmente irresponsável facilitar o acesso de adultos a maconha, através da legalização do comércio da mesma, visto que isso também facilitará o acesso de crianças e adolescentes a maconha. Ainda que se negue os malefícios da maconha, ainda assim os "benefícios" são totalmente dispensáveis, desnecessários, pois o ser humano pode viver normalmente, tranquilamente, sem precisar fumar maconha. Então, os "benefícios" da maconha não justificariam os riscos da legalização do comércio da maconha. Agora, outra coisa é o uso medicinal da planta...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...