7 de agosto de 2014

Vírus Ebola como arma de guerra biológica?



Na sequência do mais recente golpe de terror, o Ebola, o presidente Barack Obama acaba de assinar uma ordem executiva para permitir a detenção forçada de pessoas com doença respiratória grave. Sim, você leu direito. Não apenas Ebola. Mas todas as pessoas com problemas respiratórios.

No entanto, a única cepa de Ebola conhecida por ser transmitida por gotículas aéreas - Mayinga - não tem sido vista desde 1978.

Mas se você está preocupado com o Ebola, por favor, não fique. Está começando a parecer como se fosse apenas mais uma guerra psicológica dos suspeitos de sempre ... como a Gripe Aviária e a Gripe Suína.

Se você está falando sobre a possível epidemia mundial, as estatísticas que saem da Organização Mundial de Saúde (OMS) não chegam a ficar juntas pois a Ebola não está nem mesmo perto de estar em proporções epidêmicas na África. Além de que, a gênese do Ebola parece ter vindo de um núcleo que tem, em seu centro, um laboratório de armas biológicas de propriedade dos multi-bilionários George Soros e Bill e Melinda Gates.

Mesmo de acordo com dados da OMS, a propagação do vírus Ebola na África não é nada em comparação com a quantidade de pessoas que morrem no oeste da gripe comum a cada ano. Veja um total de 456 mortes em geral, para Ebola, contra um número anual de mortes por influenza de 250.000 e 500.000. Ambos estes números vêm de relatórios de saúde da OMS, e lembre-se que os números do Ebola são 458 no geral, enquanto que os números da gripe são anuais.

Então tomara que isso nos permita ter uma perspectiva mais saudável sobre a tática de terror da Guerra do Ebola que está sendo forjada pela grande mídia, que parece ser bem integrada com esta operação de guerra psicológica.

Como Jon Rappoport, em um artigo para Infowars, diz:

"O Ebola é uma operação de propaganda. As escolhas estão sendo feitas: o que enfatizar, o que ignorar, o que usar para invocar o medo. Produção de medo, de uma forma ou de outra, é um elemento padrão em exercer o controle total sobre a população. Quando as pessoas estão com medo, eles são submissivas, obedientes à autoridade. E esse é o plano."

O lado propaganda da operação está sendo diligentemente cumprido pela chefe da OMS, Margaret Chan. Quando ela se dirigiu a uma cúpula de líderes regionais no outro dia, seus valores entraram em conflito com os números reais relatados em sua atualização de 25 de julho, "A doença do vírus Ebola, na África Ocidental". Ela disse à cúpula que o vírus já custou 728 vidas na Guiné, Libéria e Serra Leoa desde fevereiro .... quase o dobro do que o recorde oficial.

Chan também lhes disse que o Ebola mata até 90 por cento das pessoas infectadas, quando no mesmo relatório podemos ver que as 456 mortes foram de um total de 814 infectados ... de modo que é quase a metade.

Assim, com estes números diferentes, podemos ver que aqueles que dirigem a agenda não se organizaram bem ainda. Isso nos ajuda a ler as entrelinhas.

Houve um comentário muito revelador de um farmacêutico no fim de semana, que, obviamente, ainda não recebeu o memorando. Em entrevista à Bloomberg News, Dr. Ben Neuman admitiu que não há "pânico" suficiente em torno do vírus Ebola para a indústria farmacêutica justificar o desenvolvimento de uma cura.

"Não é apenas uma droga que nós precisamos para o Ebola, precisamos de um coquetel de drogas e, talvez, uma vacina boa que poderia ser usada, isso tudo custa um monte de dinheiro e até agora, no que sabemos pelo menos, tem havido tão poucos infectados..."

"Parece assustador, mas eu não sei se há pânico suficiente ou número suficiente de pessoas que são clientes potenciais para essas drogas para justificar uma empresa, uma empresa privada, e colocar o dinheiro nisso seria necessário para desenvolvê-las." 

Na verdade, a Tekmira Pharmaceuticals (propriedade da Monsanto) já desenvolveu uma vacina contra o Ebola, que foi testado em seres humanos com resultados positivos. No entanto, ela foi colocada em espera pela FDA (dominada pela Monsanto), o que levou os médicos a criarem uma petição insistindo que a proibição deve ser cancelada.

Aparentemente, as ações da Tekmira tiveram forte alta nesta sexta-feira em relação à notícia de que o surto de Ebola na África Ocidental tem se intensificado, já que os investidores esperam que a vacina seja reconsiderada e liberada.

Então, de onde está vindo o Ebola? 

Os Centros dos EUA para Controle de Doenças (CDC) nos diz que o vírus está se espalhando por causa de práticas anti-higiênicas em hospitais africanos. Portanto, não pode ser uma coincidência que um laboratório de bio-guerra em um hospital de Serra Leoa, com uma lista de investidores, incluindo eugenistas conhecidos como George Soros e Bill e Melinda Gates, está no centro do surto de Ebola na África. Estas são as pessoas mais ricas do mundo e elas dominam nossos governos.

O Hospital do Governo de Kenema em Serra Leoa, que tem estado no olho do furacão do Ebola, abriga um laboratório americano de pesquisas de armas biológicas nível 2 de biossegurança com links para a Fundação Bill e Melinda Gates e Fundação Soros. Lá, os cientistas de biodefesa americanos têm trabalhado em febres virais, como Ebola por décadas.

Os moradores acreditam que certamente o Laboratório de Kenema em Serra Leoa é a causa do surto de Ebola lá. A Bloomberg relata como moradores atiraram pedras contra o hospital e a delegacia de polícia, em meio a temores de que os profissionais de saúde estivessem usando o Ebola como um ardil para matar pessoas e recolher partes do corpo.

Os medos foram motivados por um "rumor" aparentemente iniciado por uma enfermeira que trabalhava lá, que o laboratório rapidamente insistiu que estava mentalmente doente. Esta é uma tática comum e clássica, para desacreditar o denunciante. Você tem que saber como uma pessoa mentalmente doente foi considerada apta a trabalhar em uma instituição tão delicada e perigosa. Mas, claro, ela provavelmente estava completamente sã, e apenas destemida o suficiente para dizer a verdade.

Segundo a American Kabuki, que pesquisou o assunto mais profundamente, este laboratório Soros/Gates, até agora, não conseguiu desenvolver uma cepa do vírus Ebola, que seja virulento o suficiente, e certamente nenhum que se espalhe em climas mais frios do que os encontrados na África.

Ele diz:

"Eles estão tentando fazer o Ebola tornar-se uma arma há mais de 40 anos. Eles não podem fazer isso, porque a cepa Mayinga de Ebola (a única linhagem conhecida por ser contagiosa através da transmissão aerossol) mata as pessoas muito rapidamente para que ela funcione como uma bio-arma de ampla disseminação."

"Eles estão brincando com cruzamentos de Marlburg/Ebola para criar um vírus com um período gestacional mais avançado, de modo que a infecção cruzada/contaminação se espalhe mais. mas o Marlburg anula os fatores de transmissão por aerossol da cepa Mayinga de Ebola, o que os deixa com transmissão po membrana oral/mucosa, o que não é eficaz, pois o vírus morre muito rapidamente, a menos que seja em um clima úmido muito quente (daí o fato de que eles fazerem seus testes na África Ocidental em climas de selva). Ar condicionado mata o vírus quase que instantaneamente."

"Então o Ebola tem apenas uma cepa que é suspeita de ter sido transmitida por exposição por aerossol com o vírus vivo. A estirpe Ebola Zaire chamada "Mayinga" (em homenagem a enfermeira, Mayinga, que morreu depois de ter sido infectada com o vírus, sem qualquer método conhecido de transmissão - significa que eles suspeitam que ela tenha morrido através de uma transmissão por aerossol, como em: micro partículas que estão realmente no ar, e transmitidas através do contato com o vírus somente pelo ar, ou seja: inalando-o), embora nunca tenha sido provado que ela contraiu o vírus, a não ser por contaminação aerosol."

"A cepa Zaire Mayinga é a única estirpe de Ebola que já foi até mesmo suspeita de ser transmitida através de contaminação por aerossóis, e é extremamente rara. A cepa Mayinga não tem sido vista em um surto desde 1978."

Enquanto isso, este laboratório de Serra Leoa está sendo rapidamente desligado, e evitando, assim, qualquer investigação policial inconveniente.

O multi-bilionário George Soros, um amigo do presidente da Serra Leoa, também é um grande investidor no chamado "triângulo Ebola" de Serra Leoa, Libéria e Guiné.

Conclusão: A III Guerra Mundial não será realizada entre as nações, mas por uma elite global de eugenistas e psicopatas em pessoas comuns, em grande parte através de armas biológicas e guerra psicológica.

Fonte: Therapy Book

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...