24 de janeiro de 2015

Quer salvar o planeta? Seja vegano.


Aquecimento global, falta de água, desertificação, extinção de espécies, poluição, acidificação dos oceanos, iminentes catástrofes globais... Aparentemente, estamos chegando a uma espécie de Fim dos Tempos.


Está cada vez mais claro que a causa de todos estes desastres é a interferência humana na natureza. Grupos de ambientalistas e eco-ativistas ao redor do mundo surgiram para tentar resolver estes problemas, e a mídia divulga sempre o que podemos fazer para amenizar ou, quem sabe, reverter a situação: compras de produtos "sustentáveis", diminuição do uso da água, reciclagem, uso de energias renováveis... mas será que estas mudanças de comportamento realmente podem resolver o problema?

Após uma intensa pesquisa sobre o assunto, o cineasta Kip Andersen descobriu que estas "mudanças" nos hábitos das pessoas não chegam nem a resolver a metade dos problemas ambientais de nosso planeta, e chegou a conclusão que para que possamos realmente ver uma mudança significativa e verdadeira no mundo, simplesmente temos que nos tornar veganos.

Vejam os fatos científicos que apoiam esta teoria, que ele apresenta em seu site.

A agropecuária é responsável por 18 % das emissões de gases de efeito estufa, mais do que todo o transporte combinado. 
Fonte: Fao.org. Spotlight: Livestock impacts on the environment.

A pecuária e seus subprodutos são responsáveis por pelo menos 32 bilhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano, ou 51% de todas as emissões de gases com efeito de estufa em todo o mundo.
Fonte: Goodland, R Anhang, J. “Livestock and Climate Change: What if the key actors in climate change were pigs, chickens and cows?” WorldWatch, November/December 2009. Worldwatch Institute, Washington, DC, USA. Pp. 10–19.

O metano é 25-100 vezes mais destrutivo que o CO2.
Fonte: “Improved Attribution of Climate Forcing to Emissions.” Science Magazine.

O metano tem um poder de aquecimento global 86 vezes maior do que o CO2.
Fonte: NASA. "O metano: o seu papel como um gás de estufa." Jet Propulsion Laboratory.

A pecuária é responsável por 65% de todas as emissões de óxido nitroso - um gás de efeito estufa 296 vezes mais destrutivo do que o dióxido de carbono e que permanece na atmosfera por 150 anos.
Fonte: “Livestock’s Long Shadow: Environmental Issues and Options.” Food and Agriculture Organization of the United Nations. 2006.

A agricultura animal usa entre 128-287 trilhões de litros de água por ano. 
Fontes: Pimentel, David, et al. “Water Resources: Agricultural And Environmental Issues.” BioScience 54, no. 10 (2004): 909-18.
Barber, N.L., “Summary of estimated water use in the United States in 2005: U.S. Geological Survey Fact Sheet 2009–3098.”

A agricultura é responsável por 80-90% dos consumo de água nos EUA.
Fonte: “USDA ERS – Irrigation & Water Use.” United States Department of Agriculture Economic Research Service. 2013.

Cultivar colheitas de alimento para o gado consome 56% de água nos EUA.
Fonte: Jacobson, Michael F. “More and Cleaner Water.” In Six Arguments for a Greener Diet: How a More Plant-based Diet Could save Your Health and the Environment. Washington, DC: Center for Science in the Public Interest, 2006.

Um hamburger exige 2.498 litros de água para ser produzido - o equivalente a dois meses de banho de chuveiro.
Fontes: Catanese, Christina. “Virtual Water, Real Impacts.” Greenversations: Official Blog of the U.S. EPA. 2012.
“50 Ways to Save Your River.” Friends of the River.

9.463 litros de água são necessários para produzir 1 quilo de carne.
Fontes: Robbins, John. “2,500 Gallons, All Wet?” EarthSave
Meateater’s Guide to Climate Change & Health.” Environmental Working Group.
“Water Footprint Assessment.” University of Twente, the Netherlands.

1.805 litros de água são necessários para produzir 1 quilo de ovos; 3.406 litros de água são necessários para 1 quilo de queijo.
Fonte: “Meateater’s Guide to Climate Change & Health.” Environmental Working Group.

3.785 litros de água são necessários para produzir 1 galão de leite.
Fonte: “Water trivia facts.” United States Environmental Protection Agency.

As indústrias de carne e laticínios usam, combinadas, cerca de 1/3 (29%) de toda a água doce do mundo hoje.
Fonte: “Freshwater Abuse and Loss: Where Is It All Going?” Forks Over Knives.

A pecuária abrange 45% da área total do planeta.
Fonte: Thornton, Phillip, Mario Herrero, and Polly Ericksen. “Livestock and Climate Change.” Livestock Exchange, no. 3 (2011).

A agropecuária é a principal causa de extinção de espécies, zonas mortas nos oceanos, poluição da água, e destruição do habitat.
Fontes: Oppenlander, Richard A. Food Choice and Sustainability: Why Buying Local, Eating Less Meat, and Taking Baby Steps Won’t Work. . Minneapolis, MN : Langdon Street, 2013. Print. “What’s the Problem?” United States Environmental Protection Agency.
“Livestock’s Long Shadow: Environmental Issues and Options.” Food and Agriculture Organization of the United Nations. 2006.
“Fire Up the Grill for a Mouthwatering Red, White, and Green July 4th.” Worldwatch Institute.
Oppenlander, Richard A. “Biodiversity and Food Choice: A Clarification.” Comfortably Unaware. 2012
“Risk Assessment Evaluation for Concentrated Animal Feeding Operations.” U.S. Environmental Protection Agency – Office of Research and Development. 2004.

A cada minuto, 3 milhões de quilos de excrementos são produzidos por animais criados para alimentação nos EUA. Isso não inclui os animais criados fora da jurisdição do USDA ou nos quintais, ou os bilhões de peixes criados em ambientes de aquicultura nos EUA.
Fontes: “What’s the Problem?” United States Environmental Protection Agency.
“How To Manage Manure.” Healthy Landscapes.

Uma fazenda com 2.500 vacas leiteiras produz a mesma quantidade de resíduos como uma cidade de 411 mil pessoas.
Fonte: “Risk Assessment Evaluation for Concentrated Animal Feeding Operations.” U.S. Environmental Protection Agency – Office of Research and Development. 2004.

3/4 dos peixes do mundo são explorados.
Fontes: “Overfishing: A Threat to Marine Biodiversity.” UN News Center.
“General Situation of World Fish Stocks.” United Nations Food and Agriculture Organization (FAO).

90 milhões de toneladas de peixes são retirados de nossos oceanos a cada ano.
Fonte: “World Review of Fisheries and Aquaculture.” UNITED NATIONS FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO). 2012.

A cada meio quilo de peixe capturado, uma média de 2,25 quilos de espécies marinhas não intencionais são capturadas e descartadas como descarte morto.
Fonte: “Discards and Bycatch in Shrimp Trawl Fisheries.” UNITED NATIONS FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO).

40% (28 bilhões de quilos) do total de peixes capturados globalmente a cada ano são descartados.
Fonte: Goldenberg, Suzanne. “America’s Nine Most Wasteful Fisheries Named.” The Guardian.

Cientistas estimam que até 650.000 baleias, golfinhos e focas são mortas a cada ano por navios de pesca.
Fonte: Goldenberg, Suzanne. “America’s Nine Most Wasteful Fisheries Named.” The Guardian.

A agropecuária é responsável por 91% da destruição da Amazônia.
Fonte: Oppenlander, Richard A. Food Choice and Sustainability: Why Buying Local, Eating Less Meat, and Taking Baby Steps Won’t Work. . Minneapolis, MN : Langdon Street, 2013. Print.
Margulis, Sergio. Causes of Deforestation of the Brazilian Rainforest. Washington: World Bank Publications, 2003.

1-2 acres de floresta tropical (4 a 8 mil metros quadrados) são desmatadas a cada segundo.
Fonte: “Avoiding Unsustainable Rainforest Wood.” Rainforest Relief.

110 espécies de plantas, animais e insetos são perdidos a cada dia devido à destruição das florestas.
Fonte: “Rainforest statistics and facts.” Save the amazon.

26 milhões de acres de floresta tropical foram derrubadas para a produção de óleo de palma, em comparação com 136 milhões de acres de floresta tropical desmatadas para a agricultura animal.
Fontes: “Indonesia: palm oil expansion unaffected by forest moratorium.” USDA Foreign Agricultural Service. 2013.
“AMAZON DESTRUCTION.” MONGA BAY.

1.100 ativistas foram assassinados no Brasil nos últimos 20 anos.
Fonte: Batty, David. “Brazilian faces retrial over murder of environmental activist nun in Amazon.” The Guardian. 2009.

O americano médio consome 94 quilos de carne por ano.
Fontes: Haney, Shaun. “How much do we eat?” Real agriculture. 2012. (276 lbs)
“US meat, poultry production & consumption” American Meat Institute. 2009. (233.9 lbs)
Bernard, Neal. “Do we eat too much?” Huffington Post. (200 lbs)

1/3 do planeta está desertificado, com o gado como o principal condutor.
Fonte: “UN launches international year of deserts and desertification.”UN news centre, 2006.


As terras necessárias para alimentar uma pessoa por um ano:

Veganos: 1/6 acre
Vegetarianos: 3x a mais que um vegano
Carnívoros: 18x a mais que um vegano
Fonte: “Our food our future.” Earthsave.


Uma pessoa que segue uma dieta vegana produz 50% menos dióxido de carbono, 1/11 de óleo, 1/13 água, e 1/18 de terrenos em comparação com um comedor de carne para a sua alimentação.
Fontes: CO2: “Dietary greenhouse gas emissions of meat-eaters, fish-eaters, vegetarians and vegans in the UK.” Climactic change, 2014.
Oil, water: “Sustainability of meat-based and plant-based diets and the environment.” The American Journal of Clinical Nutrition, 2003.
Land: “Our food our future.” Earthsave.

A cada dia, uma pessoa que come uma dieta vegana poupa 4.160 litros de água, 20 quilos de grãos, 2,7 metros quadrados de terrenos florestais, 9 quilos de CO2 equivalente, e a vida de um animal.
Fontes: “Water Footprint Assessment.” University of Twente, the Netherlands.
“Measuring the daily destruction of the world’s rainforests.” Scientific American, 2009.
“Dietary greenhouse gas emissions of meat-eaters, fish-eaters, vegetarians and vegans in the UK.” Climactic change, 2014.
“Meat eater’s guide to climate change and health.” The Environmental Working Group.


Assista o filme: A Conspiração da Vaca: O Segredo de Sustentabilidade

Sinopse do site oficial:

A agropecuária é a principal causa do desmatamento, consumo de água e poluição, é responsável por mais gases de efeito estufa do que o setor de transporte, e é o principal motor da destruição das florestas, extinção de espécies, perda de habitat, a erosão do solo, "zonas mortas" oceânicas, e praticamente todos os outros problemas ambientais. No entanto, isso continua, quase inteiramente sem contestação.

No documentário  o cineasta intrépido Kip Andersen descobre a indústria mais destrutiva que o planeta enfrenta hoje - e investiga por que as principais organizações ambientais do mundo têm muito medo de falar sobre isso.

Andersen se aproxima de líderes do movimento ambiental, e ele descobre cada vez mais o que parece ser uma recusa intencional de discutir a questão da agricultura animal, enquanto os denunciantes da indústria e cães de guarda os avisam dos riscos para a sua liberdade e até mesmo sua vida se ele se atrever a persistir.

Trailer:




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...